SÉRIE 180 QUESTÕES COMENTADAS DE PSICOLOGIA

QUESTÃO 121. (MPEAP / 2012) NÃO é objetivo de uma entrevista inicial psicodiagnóstica:

 

(A) Comunicar verbal, discriminada e dosificadamente ao paciente, a seus pais e ao grupo familiar, os resultados obtidos e observar a resposta verbal e pré-verbal do paciente e de seus pais ante a recepção da mensagem do psicólogo. 

(B) Perceber a primeira impressão que o entrevistado desperta no psicólogo e verificar se ela se mantém ao longo de toda a entrevista ou muda, e em que sentido.

(C) Considerar o que o paciente verbaliza: o que, como e quando verbaliza e com que ritmo.

(D) Estabelecer o grau de coerência ou discrepância entre tudo o que foi verbalizado e tudo o que o psicólogo captou por meio de sua linguagem não verbal (roupas, gestos, por exemplo).

(E) Estabelecer um bom rapport com o paciente para reduzir ao mínimo a possibilidade de bloqueios ou paralizações e criar um clima preparatório favorável à aplicação de testes.

COMENTÁRIO

Vamos inicialmente relembrar quais os objetivos da entrevista inicial psicodiagnóstica:

 

OBJETIVOS DA ENTREVISTA INICIAL (Ocampo e Arzeno, 2009):

 

  • Perceber a primeira impressão que o paciente desperta (contratransferência) e ver se ela se mantém ao longo da entrevista ou se muda, e em qual sentido. Observar: linguagem corporal, roupas, gestos, modo de mover-se ou ficar quieto, semblante;

 

  • Considerar a verbalização do paciente: o que, como, quando e em que ritmo verbaliza. Comparar com a imagem que transmitiu quando solicitou a consulta. Avaliar as características de sua linguagem: a clareza ou confusão com que se expressa, a entonação utilizada que possa dificultar o entendimento, ainda que utilize vocabulário preciso e adequado, se há preferência por palavras equívocas, imprecisas ou ambíguas, quais os temas que escolhe para falar, quais aspectos de sua vida prefere destacar, quais temas provocam ansiedades, bloqueios;

 

  • Verificar se a queixa inicial se mantém, é anulada, modificada ou ampliada ao longo da entrevista;

 

  • Identificar se o paciente utiliza os três tempos de sua vida (presente, passado e futuro) ou se se fixa em algum deles;

 

  • Estabelecer o grau de coerência entre todo o conteúdo que foi verbalizado e o que foi possível apreender através de sua linguagem não-verbal;

 

  • Ficar atento aos conteúdos transferências e contratransferenciais durante a entrevista e identificar que tipo de vínculo o paciente tenta estabelecer com o psicólogo;

 

  • Estabelecer um bom rapport com o paciente, esclarecendo as dúvidas e explicando com clareza o processo para criar um clima favorável à aplicação dos testes;

 

  • Planejar a bateria de testes mais adequada ao caso e às características do paciente, definindo-se os elementos a utilizar –  quantidade  e qualidade de instrumentos –, a sequência de aplicação e o número de sessões para a aplicação das técnicas (ritmo);

 

  • No atendimento a crianças ou adolescentes, a entrevista inicial com os pais é importante para detectar o tipo de vínculo que une o  casal, o vínculo entre eles como casal e com o filho, o de cada um deles com o filho, o vínculo do  filho com cada um dos pais e com o casal, e o do casal  com  o  psicólogo;  qual  vínculo  o  casal  tenta  induzir  entre  o psicólogo e a criança/ adolescente (o que dizem deste);

 

  • Avaliar a capacidade dos pais de elaborar a situação diagnóstica, observando qual deles (ou ambos) pode aceitar, promover ou colaborar com as experiências de mudança do filho, caso este inicie uma terapia.

 

Após revisarmos o conhecimento necessário para a resolução do quesito, vamos retornar ao enunciado da questão. A banca organizadora exige que o candidato identifique qual a alternativa errada, ou seja, a única assertiva que não versa sobre os objetivos da entrevista inicial psicodiagnóstica. Vamos analisar cada uma das opções de resposta:

 

(A) Comunicar verbal, discriminada e dosificadamente ao paciente, a seus pais e ao grupo familiar, os resultados obtidos e observar a resposta verbal e pré-verbal do paciente e de seus pais ante a recepção da mensagem do psicólogo. 

 

ERRADA - a assertiva versa sobre o objetivo da entrevista devolutiva, ou seja, a última etapa no processo psicodiagnóstico.

 

No término do psicodiagnóstico, após a interpretação dos dados, o psicólogo informa ao paciente como ocorre o processo psicodiagnóstico e indica a terapêutica que julga mais adequada.  O entrevistador retoma os motivos da consulta, e a maneira como o processo de avaliação foi conduzido.  A devolução inicia-se com os aspectos menos comprometidos do paciente, ou seja, menos mobilizadores de ansiedade. Deve-se evitar o uso de jargão técnico e iniciar pelo sintoma ligado diretamente à queixa principal. O encerramento da entrevista de devolução deve ocorrer com a indicação terapêutica.

(B) Perceber a primeira impressão que o entrevistado desperta no psicólogo e verificar se ela se mantém ao longo de toda a entrevista ou muda, e em que sentido.

 

CORRETA – Descrever um dos objetivos da entrevista inicial no processo psicodiagnóstico.

 

(C) Considerar o que o paciente verbaliza: o que, como e quando verbaliza e com que ritmo.

 

CORRETA – Descrever um dos objetivos da entrevista inicial no processo psicodiagnóstico.

 

(D) Estabelecer o grau de coerência ou discrepância entre tudo o que foi verbalizado e tudo o que o psicólogo captou por meio de sua linguagem não verbal (roupas, gestos, por exemplo).

 

CORRETA – Descrever um dos objetivos da entrevista inicial no processo psicodiagnóstico.

 

(E) Estabelecer um bom rapport com o paciente para reduzir ao mínimo a possibilidade de bloqueios ou paralizações e criar um clima preparatório favorável à aplicação de testes.

 

CORRETA – Descrever um dos objetivos da entrevista inicial no processo psicodiagnóstico.

 

Conforme vimos, todas as alternativas versam sobre a entrevista inicial, exceto a alternativa (A) que traz a descrição da entrevista devolutiva.

 

GABARITO: (A) Comunicar verbal, discriminada e dosificadamente ao paciente, a seus pais e ao grupo familiar, os resultados obtidos e observar a resposta verbal e pré-verbal do paciente e de seus pais ante a recepção da mensagem do psicólogo. 

EXPERIMENTE GRÁTIS O SISTEMA VIP

Administrado por: Editora Sanar LTDA - ME

CNPJ: 18.990.682/0001-92 

R. Alceu Amoroso Lima, 172 - Salvador Office & Pool, 3ro Andar - Caminho das Árvores, CEP 41820-770, Salvador - BA - Brasil Tel.: 71 3052-4831

PARA FALAR COM A NOSSA EQUIPE:

Email: suporte@concursospsi.com

WhatsApp: (71) 99672-9083