SÉRIE 180 QUESTÕES COMENTADAS DE PSICOLOGIA

QUESTÃO 63. (DPERS / 2013) Carlos fica muito ansioso só de pensar em interação social. Não leva em consideração elogios e reage excessivamente às críticas, o que alimenta a sensação recorrente de inadequação. Ele encara tudo pelo lado pessoal; supõe que seus vizinhos não o cumprimentam por ser uma pessoa incômoda para se conviver. O cenário descrito indica a presença de um transtorno de personalidade

 

(A) Lábil.

(B) Dependente.

(C) Recorrente.

(D) Esquiva.

(E) Borderline.

COMENTÁRIO

Na área da psicopatologia são muito comuns as questões com apresentação de casos e descrição de sintomas, por isto, é muito importante que o candidato saiba reconhecer a sintomatologia característica dos principais quadros clínicos.

 

A dica de ouro é manter o foco no objetivo da questão, para tanto proponho que grife os sintomas descritos no enunciado. Vamos destacá-los?

 

  • Intensa ansiedade frente a situações que exigem interação social;

  • Não leva em consideração elogios e reage excessivamente às críticas;

  • Sensação recorrente de inadequação;

  • Encara tudo pelo lado pessoal;

  • Supõe que seus vizinhos não o cumprimentam por ser uma pessoa incômoda para se conviver.

 

Critérios gerais de diagnóstico, segundo o DSM-IV:

 

O diagnóstico de um transtorno de personalidade deve satisfazer os critérios abaixo, juntamente com os critérios específicos do transtorno em consideração.

 

A. Comportamento e experiências que se desviam consideravelmente do que a cultura vigente espera. Esse padrão é manifestado em duas (ou mais) áreas seguintes:

 

  • Cognição (percepção de si mesmo, dos outros ou de eventos);

  • Afeto (o alcance, a intensidade, a maleabilidade e a conveniência das respostas emocionais);

  • Funcionamento interpessoal;

  • Controle do impulso.

 

B. O comportamento é inflexível e invasivo, com alcance em ampla gama de situações pessoais e sociais.

 

C. O comportamento leva clinicamente a um significante desconforto e prejuízo nas áreas de funcionamento social e ocupacional, ou outra área importante de funcionamento.

 

D. O padrão é estável, de longa duração e deve iniciar, pelo menos, na adolescência ou início da idade adulta.

 

E. O comportamento não pode ser identificado como uma manifestação ou consequência de outra doença mental.

 

F. O comportamento não pode ser identificado como uma manifestação ou consequência de causas fisiológicas como abuso de substâncias ou uma condição médica geral tal como dano cerebral.

 

A fim de solucionar a questão, vamos apresentar os critérios da CID-10 e DSM-IV para cada um dos Transtornos de Personalidade elencados nas alternativas de resposta.

 

(A) Lábil.

 

O termo labilidade refere-se à inconstância do humor (depressão, euforia, irritabilidade), sintoma presente em diversos quadros psicopatológicos, tais como os transtornos de personalidade histriônico e .

 

(B) Dependente.

 

F60.7 Personalidade dependente - Transtorno da personalidade caracterizado por:

 

  • Tendência sistemática a deixar a outrem a tomada de decisões, importantes ou menores;

  • Medo de ser abandonado;

  • Percepção de si como fraco e incompetente;

  • Submissão passiva à vontade do outro (por exemplo, de pessoas mais idosas) e uma dificuldade de fazer face às exigências da vida cotidiana;

  • Falta de energia que se traduz por alteração das funções intelectuais ou perturbação das emoções;

  • Tendência frequente a transferir a responsabilidade para outros.

 

(C) Recorrente.

 

O termo recorrente é utilizado para designar a psicopatológico. Por exemplo, quadro de depressão recorrente.

 

(D) Esquiva.

 

F60.6 Personalidade ansiosa [esquiva] – Transtorno da personalidade caracterizado por:

 

  • Sentimento de tensão e de apreensão, insegurança e inferioridade;

  • Existe um desejo permanente de ser amado e aceito;

  • Hipersensibilidade à crítica e a rejeição;

  • Reticência a se relacionar pessoalmente;

  • Tendência a evitar certas atividades que saem da rotina com um exagero dos perigos ou dos riscos potenciais em situações banais.

 

(E) Boderline

A CID-10 divide o transtorno de personalidade emocionalmente instável (F603) em dois subtipos: o tipo impulsivo e o tipo borderline.

 

F60.31 – Tipo Boderline – Diz respeito ao Transtorno de Personalidade Borderline propriamente dito.

 

Caracterizado por:

 

  1. O critério geral de transtorno de personalidade deve ser alcançado.

  2. Pelo menos três dos sintomas mencionados no critério 2 do Tipo Impulsivo (F60.30) devem estar presentes.

 

Em adição, pelo menos dois dos sintomas abaixo devem estar presentes:

 

a. Perturbações e incertezas sobre a autoimagem, metas, preferências internas (incluindo sexualidade);

 

b. Tendência a se envolver em relações intensas e instáveis, sempre levando a crises emocionais;

 

c. Esforços excessivos para se evitar abandono;

 

d. Atos ou ameaças recorrentes de autolesão ou suicídio;

 

e. Sentimentos crônicos de vazio.

 

Critério 2 do tipo Impulsivo (F60.30):

 

a. Tendência em agir impulsivamente e sem consideração com as consequências;

b. Tendência a ter um comportamento briguento e entrar em conflito com os outros, especialmente quando os atos violentos são contrariados ou criticados;

c. Tendência a explosões de ira e violência, com incapacidade de controlar os resultados subsequentes;

d. Dificuldade em manter qualquer ação que não ofereça recompensa imediata;

e. Humor instável e caprichoso.

Conforme pudemos verificar, inicialmente o candidato poderia excluir facilmente as alternativas (A) e (C), pois não são exemplos de transtornos de personalidade.

 

DICA: Risque as alternativas erradas para evitar confusão no momento de marcar a resposta!

 

Os sintomas apresentados por Carlos são:

 

  • Intensa ansiedade frente a situações que exigem interação social;

  • Não leva em consideração elogios e reage excessivamente às críticas;

  • Sensação recorrente de inadequação;

  • Encara tudo pelo lado pessoal;

  • Supõe que seus vizinhos não o cumprimentam por ser uma pessoa incômoda para se conviver.

 

Estes sintomas são condizentes com o seguinte quadro:

 

  • Sentimento de tensão e de apreensão, insegurança e inferioridade;

  • Desejo permanente de ser amado e aceito;

  • Hipersensibilidade à crítica e a rejeição;

  • Reticência a se relacionar pessoalmente;

  • Tendência a evitar certas atividades que saem da rotina com um exagero dos perigos ou dos riscos potenciais em situações banais.

 

Deste modo, Carlos apresenta o Transtorno de Personalidade ansiosa [esquiva] (F60.6)

GABARITO: (D) Esquiva.

EXPERIMENTE GRÁTIS O SISTEMA VIP

Administrado por: Editora Sanar LTDA - ME

CNPJ: 18.990.682/0001-92 

R. Alceu Amoroso Lima, 172 - Salvador Office & Pool, 3ro Andar - Caminho das Árvores, CEP 41820-770, Salvador - BA - Brasil Tel.: 71 3052-4831

PARA FALAR COM A NOSSA EQUIPE:

Email: suporte@concursospsi.com

WhatsApp: (71) 99672-9083