SÉRIE 180 QUESTÕES COMENTADAS DE PSICOLOGIA

QUESTÃO 08. (Prefeitura Municipal de Sertãozinho / 2012) Para Donald Winnicott, o processo de amadurecimento de um indivíduo é desdobrado em estágios (stages). Segundo a perspectiva do autor, o início dos processos mentais fazem parte do estágio de

 

(A) dependência relativa.

(B) dependência absoluta.

(C) rumo à independência.

(D) independência.

(E) independência relativa.

COMENTÁRIO

Devemos sempre nos lembrar da regra de ouro para a solução de questões: Destaque o núcleo do enunciado! Mantenha em mente que a banca deseja que você identifique a assertiva que destaca o estágio no qual ocorre o início dos processos mentais.

 

A fim de respondermos a questão, precisamos saber quais são os estágios de amadurecimento do indivíduo, segundo a perspectiva winnicottiana. Vamos lembrar?

 

  • Fase de Dependência Absoluta;

  • Fase de Dependência Relativa;

  • Fase de Independência Relativa.

 

A partir desta primeira informação, podemos excluir desde o início as alternativas que são incompatíveis com a teoria:

 

(A) dependência relativa.

(B) dependência absoluta.

(C) rumo à independência.

(D) independência.

(E) independência relativa.

 

Pronto! Tendo eliminado essas duas alternativas, vamos relembrar o conceito de cada uma das fases propostas por Winnicott.

 

Na visão winnicottiana, no início da vida o ambiente é representado pela mãe, sendo fundamental para a constituição do self o modo como ela toca seu bebê, o movimenta, o aconchega, fala com ele, pois este cuidado promove para o bebê uma continuidade entre o inato, a realidade psíquica e um esquema corporal pessoal. Na etapa inicial de desenvolvimento a questão primordial é a presença de uma mãe-ambiente confiável que se adapte às suas necessidades de maneira virtualmente perfeita.

 

Winnicott utiliza o termo “mãe suficientemente boa” para designar o cuidador capaz de se identificar com a criança e atender às suas necessidades básicas, possibilitando ao bebê a ilusão de que o mundo é criado por ele, concedendo-lhe a experiência da onipotência primária, base do fazer-criativo. Ou seja, ao fornecer todo o cuidado e afeto que o bebê necessita, a mãe dedicada lhe dá a sensação de onipotência e plenitude, fazendo-o crer ser detentor de todas as possibilidades.

 

  • Fase de Dependência Absoluta

 

A dependência absoluta refere-se ao fato do bebê depender inteiramente da mãe para ser e para realizar sua tendência inata à integração em uma unidade. Esta etapa ocorre antes do aparecimento da integração do ego. As experiências iniciais na díade mãe-bebê são estruturantes do psiquismo, participando da organização da personalidade e dos sintomas.

 

O bebê nasce em um estado de não integração, onde os núcleos do ego estão dispersos e, para o bebê, estes núcleos estão incluídos em uma unidade que ele forma com o meio ambiente. Ao prestar todos os cuidados físicos e psicológicos necessários ao seu desenvolvimento, a mãe atua como ego auxiliar do bebê.

 

Características:

 

  • Total dependência do meio – Primeiros 6 meses

  • O bebê desconhece seu estado de dependência

  • O bebê necessita da presença da “Mãe suficientemente boa” – Estado psicológico associado ao exercício da função materna.

 

  • Fase de Dependência Relativa

 

Características:

 

  • Compreende de 6 meses a 2 anos.

  • Trata-se de uma fase onde a mãe intervém de uma maneira frequente na vida da criança.

  • Nesta fase a criança começa a reconhecer objetos e pessoas. Porém percebe a mãe de uma maneira unificada, pensa que está relacionando-se com duas mães.

  • Mãe suficientemente boa X Mãe insuficientemente boa.

 

Na transição da etapa de dependência absoluta para a dependência relativa temos o terceiro quesito da maternagem suficientemente boa: a apresentação do objeto. Este momento tem início com a primeira refeição do bebê, quando a mãe demonstra ao bebê que ela pode ser substituída. Aos poucos a mãe vai possibilitando ao bebê outras maneiras de agir no ambiente, estimulando-o a explorar novas possibilidades por meio de seu próprio esforço e criatividade.

 

No início da passagem da dependência absoluta para a dependência relativa, os objetos transicionais exercem a indispensável função de amparo, por substituírem a mãe que se distancia e desilude o bebê com sua ausência, marcando o início da quebra da unidade mãe-bebê.

 

Winnicott utiliza o termo objeto transicional para descrever a jornada do bebê desde o puramente subjetivo até à objetividade. Este objeto representa a mãe e ocupa o lugar de ilusão, pois, é conservado pela criança, que o mantém próximo tanto quanto o deseje, ao contrário do seio, que não está disponível constantemente.

 

À medida que o desenvolvimento progride, a criança tem um ego relativamente integrado, e com a sensação de que o núcleo do si próprio habita o seu corpo. Ela e o mundo são duas coisas separadas. A última etapa do desenvolvimento emocional primitivo é conseguir alcançar uma adaptação à realidade.

 

  • Fase de Independência Relativa

 

Após a criança ter alcançado a diferenciação entre ela e o ambiente, tendo se adaptado em certa medida à realidade – absorvendo pautas objetivas dela, que modificam suas fantasias - o último passo que deve dar é integrar em um todo as diferentes imagens que tem de sua mãe e do mundo.

 

Ao adaptar-se à realidade, o bebê pode passar ao período de independência relativa, em que desenvolve meios para poder prescindir do cuidado materno. Isto é conseguido mediante a acumulação de memórias de maternagem, da projeção de necessidades pessoais e da introjeção dos detalhes do cuidado maternal, com o desenvolvimento da confiança no ambiente.

 

Assim, retornando ao enunciado da questão, o início dos processos mentais – integração do ego e adaptação à realidade – fazem parte do estágio de DEPENDÊNCIA RELATIVA.

 

GABARITO: (A) dependência relativa.

Psicologia Jurídica

Pré-Venda

Módulo Impresso

Postagens a partir de

reserve o seu !

Administrado por: Editora Sanar LTDA - ME

CNPJ: 18.990.682/0001-92 

R. Alceu Amoroso Lima, 172 - Salvador Office & Pool, 3ro Andar - Caminho das Árvores, CEP 41820-770, Salvador - BA - Brasil Tel.: 71 3052-4831

PARA FALAR COM A NOSSA EQUIPE:

Email: suporte@concursospsi.com

WhatsApp: (71) 99672-9083